São Mateus – Em solidariedade aos moradores de Guriri, o presidente da Câmara Municipal, vereador Paulo Fundão, conclama a união das autoridades, dos demais agentes políticos e da população na construção e consolidação de soluções para os problemas que afetam o balneário, principalmente para a drenagem pluvial tão necessárias nestes dias de chuvas intensas. Para escoamento das águas pluviais que alagam ruas e avenidas de Guriri, Paulo inclusive acionou o governador Renato Casagrande, ainda na noite de domingo, em telefonema de 40 minutos.
Paulo Fundão destaca que as autoridades estão atuando em São Mateus, com todo o estafe do Governo Municipal nas ruas e apoio do Governo Estadual, para minimizar o sofrimento da população na área urbana e também nas comunidades rurais. “A situação, gente, não é fácil”, pondera. Por esta postura compromissada, o parlamentar inclusive recebe elogios de lideranças de Guriri, que compreendem a urgência da união de forças.

PROBLEMAS ANTIGOS
E DE DIFÍCIL SOLUÇÃO
O presidente da Câmara de São Mateus lembra que, pra ficar somente na história recente, Guriri sofre com problemas climáticos desde o final da década de 1990, ainda no governo do prefeito Rui Baromeu, quando as águas do Rio Mariricu ficaram salgadas. E conviveu também com grandes inundações em diferentes momentos nestas últimas décadas sem que soluções definitivas fossem encontradas.
“A conta não pode ficar neste Parlamento, nem no atual chefe do Executivo. O que temos que fazer é nos unir para resolver a situação, ou pelo menos amenizar este sofrimento. A macrodrenagem de Guriri vai sair, mas não vai resolver o alagamento atual, o problema que está aí” – analisou.
Com os colegas vereadores também em prontidão para as intervenções possíveis, assim que foi acionado pelo vice-presidente Kacio Mendes, Paulo Fundão entrou em contato com o governador Renato Casagrande e pediu intervenções urgentes, mesmo que paliativas, para acabar com os alagamentos que tomam vias públicas no balneário.

LADEIRA DO BESOURO
Ao lembrar que as chuvas intensas atingem praticamente todos os outros municípios capixabas, inclusive com interdições na BR-101, Paulo Fundão disse que, além de Guriri, há monitoramento de problemas que surgiram com os temporais nos quatro cantos de São Mateus.
Na área urbana da Cidade, lembrou que há um prédio de três andares com risco de iminente desabamento entre a Praça do Mirante e a Ladeira do Besouro, ameaçando também outros imóveis da parte alta da Cidade e da Avenida Cricaré, na faixa ribeirinha. Ele recordou que, quando criança, brincava na área atualmente erodida, onde havia árvores que posteriormente foram envenenadas.
Simultaneamente, nesta faixa frontal da Cidade, o Vale do Cricaré já inundado continua recebendo águas que escoam do noroeste capixaba e do leste mineiro em direção ao mar pelo rio que lhe dá nome.

PLANEJAMENTO
Ao lembrar que Guriri tem investimentos confirmados de mais de R$ 100 milhões somente dos cofres estaduais, Paulo Fundão reiterou o apelo por união para desatar entraves e não criar novas dificuldades para as soluções que estão sendo encaminhadas. “O povo está cansado de promessas. Nós precisamos de um planejamento para Guriri, para a Ladeira do Besouro”.
Ao defender esta unidade tão prioritária, o presidente da Câmara lembra que as próximas eleições serão apenas em 2024. Ele ainda reforça que a postura democrática, de acolhimento e debate das ideias, continua prestigiada na Caixa de Ressonância da Sociedade, como costuma chamar o Parlamento Municipal na atual legislatura.
Por fim, deixa claro que os vereadores mateenses estão prontos para apresentar propostas, debater soluções, contudo não têm “caneta para executar”.
Os alagamentos em Guriri e em outros pontos da Cidade estiveram presentes também nos discursos dos vereadores Carlinho Simião, Cristiano Balanga, Kacio Mendes, Ciety Cerqueira, Preta do Nascimento e Adeci de Sena na sessão de terça-feira, 29.