A Mesa Diretora da Câmara de São Mateus decretou Luto Oficial, por três dias, em virtude do falecimento da ex-vereadora e única mulher a presidir o Poder Legislativo do Município, Marlusse Pestana Daher, ocorrido nesta terça-feira (02), em Vitória, onde residia.
O decreto destaca a brilhante carreira de Doutora Marluce na política, no Direito (foi defensora pública e promotora) e na literatura, como escritora.
Em virtude do cenário atual de Pandemia, o velório é restrito aos familiares em Vitória.
Se manifestando em nome do Legislativo, o presidente da Câmara, vereador Jorge Recla, lamentou a perda, ressaltou as virtudes de Marluce Daher e sua contribuição nas mais diversas áreas onde atuou.

“Em primeiro lugar, externamos nossos sentimentos de grande pesar aos familiares da Sra Marluce Daher e rogamos a Deus que os conforte neste momento de dor pela passagem de um ente querido, de uma mateense ilustre e honrada, que deixa seu nome gravado na História de São Mateus. Devemos sempre lembrá-la com gratidão e alegria, pelo seu exemplo de ser humano e por toda a sua contribuição ao nosso Município”.

Biografia
Nascida em São Mateus, Marluce Daher cresceu na Rua do Alecrim, local em que brincava de roda em noites de luar.
Foi professora de Língua Portuguesa, advogada, defensora pública e se aposentou como promotora de justiça.
Foi a primeira mulher vereadora no município e primeira presidente da Câmara de São Mateus.
Uma de suas grandes paixões era a literatura, foi escritora, poetisa. Em 2019 se tornou membro da AFESL -Academia Feminina Espirito-santense de Letras, titular da “Cadeira 33 – Patrona Argentina Lopes Tristão”, bem como era membro da Academia Mateense de Letras, onde ocupava a “Cadeira 09 – Patrona Cora Coralina”, se destacando como uma das fundadoras dessa Instituição a qual Marluce Daher presidiu desde a sua fundação até janeiro de 2019. Foi freira por alguns anos, deixando o apostolado para auxiliar a mãe com os irmãos por ocasião do falecimento do se pai.

 

Foi professora da Rede Estadual de Ensino em São Mateus, de 1970 a 1991, na Escola Ceciliano Abel de Almeida, lecionando Língua Portuguesa. Era graduada em Letras na Faculdade de Filosofia – FAFI, em Vitória, mesmo período em que atuava como advogada, uma vez que se graduou em Direito pela faculdade UNESC de Colatina. Atuou como Defensora Pública em São Mateus de 1978 a 1982.
Em 1991, ingressou no Ministério Público Estadual, exercendo em caráter de provimento efetivo, o cargo de promotor substituto e designada para responder pela Promotoria de Justiça do Grupo de Trabalho da Casa de Detenção. No ano de 1992, foi promovida por antiguidade para o cargo de Promotor de Justiça, atuando nas Comarcas de Dores do Rio Preto, Baixo Guandú, Cachoeiro de Itapemirim, Domingos Martins, Jaguaré, Nova Venécia, Presidente Kennedy, Rio Novo do Sul, São Mateus, Serra, Viana e na Capital do Estado, período em que atuou como Titular do Conselho Estadual do Meio Ambiente (CONSEMA).
Era Conselheira da Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Vitória, produtora e apresentadora do programa “Cinco Minutos Com Maria”, na Rádio América de Vitória.
Vida Pública
Tornou-se vereadora na Câmara Municipal de São Mateus, ocupando com excelência a função que o povo mateense lhe outorgou nas urnas, tendo sido eleita para o mandato de 1977 a 1981, estendido até dezembro de 1983, haja vista a prorrogação dos mandatos dos prefeitos e vereadores por mais dois anos , em cumprimento de decisão federal.
Primeira presidente
Foi a primeira e única mulher eleita a responder como Chefe do Poder Legislativo, ocupando o posto de Presidente nos anos de 1981 a 1983, “o que o fez com maestria, tamanha sua envergadura moral e postura ilibada como mulher, que sempre se posicionou defensora dos fracos e oprimidos”, ressaltam os membros da Mesa Diretora em suas considerações no Decreto de Luto Oficial.